nyc

NYC: 3 dias na cidade que nunca dorme

Primeiramente, quero esclarecer que 3 dias é MUITO pouco tempo para conhecer Nova Iorque. Sério, você vai precisar de pelo menos uma semana para cobrir a maior parte da cidade.

Contudo, como me faltava tempo e sobrava disposição, fiz uma maratona pela maior quantidade de locais que consegui. Tive que priorizar alguns passeios e desistir de outros, mas valeu muito a pena! E mais, dei preferência para lugares cabiam em um orçamento apertado, o que quer dizer que deixei de lado alguns pontos super importantes, mas aproveitei o máximo que essa cidade tem a oferecer para uma turista quebrada.

Outra coisa que quero pontuar, é que umas das minhas prioridades foram os museus e galerias de arte. Então, se você não curte esse tipo de programa, vai ter mais tempo para conhecer outros lugares que eu acabei deixando de lado para visitar o MoMa e o Met, por exemplo.

 

nyc

Acomodação

Depois de uma longa tarde de buscas, encontrei um hostel que serviu lindinho no meu bolso. Foi a melhor opção dentre Airbnb e outros sites de hospedagem. A minha intenção inicial era ir como Couchsurfer, mas não consegui encontrar alguém disponível na data da minha viagem (ok, eu procurei bem em cima da hora, my bad!).

O lugar onde fiquei se chama Q4. A localização é ótima, as instalações são novinhas, todos os serviços de apoio a viajantes desgovernados são oferecidos… foi uma ótima opção! Para a média de NYC o valor ficou muito em conta, eu recomendo demais!

Transporte

NYC é uma cidade grande para caramba, não pense que vai dar pra fazer tudo a pé como em algumas cidades da Europa e da América Latina.

Compre o passe do metrô, é a melhor opção, mesmo se você for ficar por poucos dias. O passe semanal é uns 30 dólares, e você pode usar ilimitadamente.

Além disso, sempre tenha um mapa do metrô com você e aceite que às vezes você vai ter que esperar 20 minutos pelo próximo trem, ou encontrar estações fechadas por motivos randômicos.

Alimentação e Vida Noturna

Mesmo em NYC é possível encontrar locais legais e acessíveis para comer/ se divertir. Vou colocar abaixo uma lista de alguns lugares que fui:

 

nyc
Café da manhã no E.A.T. – gostoso porém custoso.

 

1º dia

Uma outra vantagem do hostel que escolhi é que dá para ir a pé até o segundo prédio do MoMa: o PS1, um museu de arte contemporânea com diversas instalações. Esse foi meu primeiro programa. Eu havia conhecido esse museu através deste vídeo, e foi uma experiência bem diferente, mas se você prefere arte clássica, provavelmente vai achar o PS1 estranho demais.

nyc

A segunda parada também foi o MoMa, só que o prédio principal, mas antes fui até o Rockefeller conferir a famosa estátua dourada e a pista de patinação. Dica: o MoMa é de graça às sextas-feiras, a partir das 16h. É lotado, mas eles agilizam bastante a entrada das pessoas para não tumultuar tanto. Não leve mochilas ou bolsas grandes, senão você vai passar horas na fila da chapelaria. Entrei logo que o horário gratuito começou. São 6 andares, você vai precisar de umas 3 horas lá dentro.

2º dia

Tem uma coisa que eu sempre faço quando vou conhecer uma cidade nova: procuro um Free Walking Tour – aqueles tours a pé que você paga o quanto quiser no final do passeio. Eu já havia entrado neste site e conferido as opções, por isso, às 9 da manhã fui até Wall Street para começar um tour de 3 horas pelo Distrito Financeiro, Chinatown, Little Italy e Soho.

Sério, se você gosta de saber mais sobre os lugares que visita, procure um tour desses. Além de aprender muito sobre fatos históricos e curiosidades, você pode acabar fazendo amizades, pois há vários turistas simpáticos frequentando esse tipo de programa.

nyc

Depois do almoço, foi a vez do Central Park e Upper East Side, da Barnes & Noble (livraria maravilhosa localizada na rua 86th), da joalheria Tiffany’s (só para olhar as vitrines e me sentir como a Audrey Hepburn) e da Gran Central Station, a estação mais linda, movimentada e cinematográfica dos EUA.

nyc
Central Park

3º dia

Acordei cedo para entrar logo às 11h no Metropolitan Museum (ou The Met). Dica 1: chegue cedo, quando saí do museu havia uma fila quilométrica do lado de fora! Dica 2: O Met sugere um preço de entrada, mas você é livre para contribuir com quanto desejar.

Embora tenha apenas dois andares, foi o museu mais completo e espaçoso que visitei. Vale a pena pegar o mapa e ir seguindo a numeração das câmaras. Se você quiser ver tudo com calma, vai levar mais de 4 horas (use calçados confortáveis).

Depois do Met fui à Neue Gallery (é pertinho!). Lá, há obras de artistas alemães e austríacos e entre eles, um dos meus pintores favoritos: Gustav Klimt. A entrada é 20 dólares, mas eles aceitam carteirinha de estudante, então você pode pagar meia se tiver uma. Uma coisa ruim sobre essa galeria é que eles não permitem fotos.

nyc
Broadway

No final da tarde, fui até a Broadway, caminhei pela Times Square e depois rumei para a ponte do Brooklyn. Há uma região muito famosa entre a ponte do Brooklyn e a ponte Manhattan chamada DUMBO (Down Under the Manhattan Bridge Overpass).

Atravessar a ponte do Brooklyn é uma experiência imperdível. Um amigo me falou que o ideal é fazer esse passeio duas vezes: uma vez durante o dia e uma vez à noite, e assim poder ver a paisagem em dois momentos diferentes. No meu caso, só tive tempo para ir depois do pôr-do-sol. Atravessei a ponte em direção à Manhattan, foi incrível.

nyc
Eu sendo glamurosa #sqn na Brooklyn Bridge

No dia seguinte, peguei meu voo de volta para o Brasil. O hostel onde fiquei também tem fácil acesso à linha de metrô que vai para o aeroporto JFK, então foi bem tranquilo.

Pretendo retornar à NYC outras vezes e fazer os programas que faltaram, mas aprendi muito e me diverti bastante nestes três dias de muita correria e pouco descanso. O cansaço na volta para casa valeu a pena.

Coisas que não consegui fazer:

  • Visitar o Museu Guggenheim
  • Ir a um show da Broadway
  • Ir à Estátua da Liberdade
  • Ir ao Top of the Rock
  • Fazer um Jazz Tour pelo Harlem
  • Fazer um Food Tour

E várias outras que ficarão para uma próxima oportunidade!

E você, conhece Nova Iorque? Qual é seu passeio preferido?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *