Travel Burnout e Choque Cultural: Como Lidar

Viajar pode levantar seu astral e ser algo muito inspirador, mas também pode se tornar um frustrante fracasso.

Quando as empolgantes primeiras semanas ou meses de viagem acabam, o “burnout” geralmente começa.

Se você não está familiarizada com esse termo, aqui você vai encontrar uma explicação mais completa, mas para este artigo, basta saber que um “travel burnout” é um estado de esgotamento físico e mental que acomete muitas pessoas, principalmente durante longas viagens.

O burnout pode acontecer com os melhores viajantes. Há momentos em que você anseia por um momento só para si, com todos os confortos do lar que você deixou para trás. É normal.

De fato, passar por oscilações extremas de humor é parte da experiência de viajar, mas este não deve ser o foco da sua viagem. Para não deixar que esse problema estrague sua experiência, aprenda a identificá-lo e tratá-lo:

Sinais de Travel Burnout:

  • Ficar agressiva
  • Parar de respeitar a cultura local
  • Se estressar ao planejar a viagem
  • A viagem para de ser divertida

Melhores curas:

  • Desacelere, tome fôlego, descanse
  • Mantenha um diário para entender o que está criando ou despertando o burnout
  • Faça exercícios, eles vão te ajudar a equilibrar-se física e mentalmente (meditação incluída)
  • Seja flexível com seus planos
  • Não leve a si mesma ou a viagem tão a sério
  • Mande um email ou fale pelo Skype com sua família e amigos

Burnouts podem acontecer por diversos fatores. Você pode estar ficando exausta de se deslocar constantemente, pode estar sentindo falta de ter mais conforto, pode estar em um ambiente muito lotado e barulhento e precisando de um momento sozinha e um local silencioso, pode estar sentindo falta de conviver com pessoas com quem você tem uma conexão mais profunda e pode estar sendo vítima de choque cultural intenso.

Choque cultural é uma condição pela qual todas as pessoas passam quando são expostas a uma cultura diferente pela primeira vez. É aquele período de conhecimento e reconhecimento, no qual você identifica semelhanças e diferenças entre culturas e então aprende a se adequar, equilibrando-se entre sua cultura natal e a estrangeira. Mas para muita gente, esse processo pode ser um desafio realmente doloroso, principalmente devido ao fato de estar em um ambiente completamente estranho.

Sintomas comuns incluem:

  • Irritabilidade
  • Comer demais ou perder o apetite
  • Extrema saudade de casa
  • Afastar-se de pessoas que são diferentes
  • Depressão

Adaptação entre culturas é uma transição que acontece gradualmente e por isso, leva-se um tempo para superar os sintomas de choque cultural.

Aqui estão algumas sugestões minimizá-lo:

  • Mantenha-se ativa (vá andar pela rua, nem que for para ir ao mercado ou sentar em um parque)
  • Procure aprender o idioma local ou melhorar seu inglês (muitas vezes isso está te impedindo de se comunicar efetivamente com as pessoas e causa grandes aborrecimentos)
  • Faça amigos (se eles também forem estrangeiros, podem estar se sentindo iguais a você)
  • Mais uma vez, faça exercícios (quem sabe uma corrida por pontos de turísticos não seja uma boa opção?)
  • Participe de atividades coletivas (aulas, trabalhos voluntários, excursões)
  • Seja paciente 🙂

Agora que você sabe como lidar com o travel burnout e o choque cultural, esteja preparada para voltar para casa e experimentar o choque cultural reverso.

Os sintomas do choque cultural reverso são semelhantes aos do choque cultural. Para superá-lo, você pode precisar de muito apoio, paciência e tempo para se adaptar à sua rotina novamente.

O que devemos manter em mente é que todo viajante passa por burnouts e às vezes, por choques culturais acentuados. Utilize essas dicas e esteja ciente de que essas duas situações são uma parte desagradável do processo de viajar, mas são infinitamente compensadas pelos incontáveis momentos incríveis que você vai viver.

E você, já passou por alguma delas? Como foi?

*Texto adaptado do site Go Girl Guides

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *